Festival Jazz & Blues em Guaramiranga

Este ano de 2024 o Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga completa 25 anos. O Carnaval está chegando e com ele o tradicional Festival Jazz & Blues, que desde 2000 acontece nesse período, na cidade serrana de Guaramiranga, no Ceará. Em 2024, de 10 a 13 de fevereiro, será a edição comemorativa de 25 anos. Shows, bate-papos e oficinas vão marcar a programação. Entre as atrações, o cantor, compositor e ator cearense Rodger Rogério será homenageado. O artista é um dos mestres da geração conhecida como “Pessoal do Ceará”, um dos mais importantes movimentos da música contemporânea do Brasil da década de 1970.Serão quatro dias de muito jazz, blues e outros gêneros musicais afins, ambientados na cidade, conhecida por seus encantos serranos e clima ameno, localizada no Maciço de Baturité, a cerca de 100Km de Fortaleza. Toda a programação e informações sobre acessos poderão ser consultados em breve no site www.jazzeblues.com.br e nas redes sociais Facebook [Festival Jazz & Blues (CE)] e Instagram [@festivaljazzeblues].

COMO SERÁ O FESTIVAL

Nos três primeiros dias (sábado, domingo e segunda-feira), às 11h da manhã, acontece o Café no Tom, um bate-papo com atrações do festival, com direito a palinha, no Basílico Restaurante, na Praça do Teatro Municipal de Guaramiranga. É um momento de pura descontração e interação dos artistas com o público do festival e visitantes. Na Cidade Jazz & Blues, estrutura erguida anualmente no espaço do Estádio Municipal Jean Bardawil, a 500m do Basílico, o festival recebe atrações em duas sessões, uma às 17h e outra às 21h, com dois shows em cada.

Na terça-feira, o formato é diferente, com a Matinal nas Igrejas, às 9h e às 11h da manhã, na Igreja da Gruta e na Igreja Matriz, respectivamente, e um espetáculo às 10h, na Praça do Teatro Municipal de Guaramiranga. Uma novidade desta edição é que toda a programação terá acesso gratuito e o público será convidado a contribuir com 1kg de alimento (um por pessoa), que será direcionado ao Ceará sem Fome, programa do Governo do Ceará.

Ações formativas também fazem parte do DNA do festival desde o início. Nesta edição, serão quatro dias de atividades para crianças, às 10h da manhã, na sede da Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga (AGUA), que fica no Centro de Guaramiranga, próxima ao Teatro Municipal. As atividades são voltadas para estudantes de música de Guaramiranga, em parceria com a Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga – AGUA, que estejam no nível intermediário, com três ou mais anos de experiência.

AS ATRAÇÕES

Comemorando 80 anos, Rodger Rogério, mestre da música do Ceará para o Brasil, será homenageado nesta edição e apresenta o show “80 anos – Bossa, Jazz e Algo Mais”, destacando seu lado de intérprete e revisitando influências. Mestre da geração que se tornaria conhecida por “Pessoal do Ceará”, Rodger Rogério é cantor, compositor, violonista e ator, tendo atuado em filmes como “Bacurau”, “Greta” e “Pacarrete”. Este show é dedicado à interpretação de canções que influenciaram a formação musical do artista, em uma homenagem a grandes ídolos que marcaram seu crescimento como ouvinte, na Fortaleza dos anos 60. Standards do jazz que influenciaram a música do Brasil, canções brasileiras de influência jazzística, clássicos da era do samba-canção, da fase mais imediatamente pré-bossa nova, da bossa e outras relacionadas a esse universo estético serão apresentadas por Rodger e banda formada por Tito Freitas (teclado), Alex Moreira (trompete), Nélio Costa (contrabaixo acústico), André Benedecti (bateria) e o maestro Luciano Franco (guitarra), que é também o arranjador deste espetáculo.

Egberto Gismonti, um dos grandes mestres da música do Brasil para o mundo, está de volta ao Festival Jazz & Blues depois de 17 anos, já tendo abrilhantado a edição de 2007. O multi-instrumentista, compositor e arranjador é aclamado internacionalmente por seu trabalho de profunda originalidade, inventividade e expressão. Um universo, ou multiverso, da música. Conhecido por transcender fronteiras entre o popular e o erudito, é autor de temas clássicos, como “O sonho”, “Loro” e “Palhaço”, que acumulam inúmeras regravações, como referências para a cena instrumental.

O percussionista baiano Marco Lobo vem com um time de grandes músicos para apresentar um show vibrante, tendo a percussão e os ritmos brasileiros como referência. São eles: Erivelton Silva (Bateria), Gastão Villeroy (baixo), Kiko Continentino (teclado) e Marcelo Martins (sax e flauta). No repertório, músicas dos três CDs solos de Marco Lobo, que durante muitos anos foi integrante de bandas de músicos consagrados da MPB, como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, João Bosco, Ivan Lins, Marisa Monte, Lenine e Virgínia Rodrigues.

Manassés de Sousa e Pablo Fagundes, dois gigantes da música instrumental brasileira, sobem ao palco do Festival Jazz e Blues para um show inédito, acompanhados por Miqueias dos Santos (baixo), Tito Freitas (piano) e Adriano Azevedo (bateria). A união das cordas dedilhadas pelo mestre Manassés com a harmônica do virtuoso Pablo torna evidente o mais alto rumo que a música instrumental vem tomando no Brasil. Manassés de Sousa é um multi-instrumentista e compositor cearense. Exímio violonista, dedilha as cordas de maneira primorosa, sendo citado mundo afora pela maneira como toca, resultado da extensa carreira, onde esteve ao lado de grandes nomes da música brasileira e internacional. Pablo Fagundes, harmonicista, produtor e compositor brasiliense, é uma referência da mais moderna música brasileira. Sua sonoridade diferenciada vem sendo reconhecida pelos festivais nacionais e internacionais.

Paraibano residente no Ceará, o baterista e compositor Pantico Rocha apresenta o show autoral “A Sorte está Lançada”, com repertório afro-pop-rock com pitadas de funk, melodias sensíveis e uma pegada vibrante. Ele sobe ao palco ao lado de Misael Silva e Felipe Facó nas guitarras e Wanderley Freitas no baixo. “A Sorte Está Lançada” é um espetáculo inspirado nas referências que tiveram importantes contribuições na ampliação do entendimento sobre a música e a forma de tocar de Pantico Rocha. Este show foi motivado também pelas suas vivências e trabalhos realizados ao lado dos grandes nomes da música, tanto a nível regional, como a banda Officina, quanto a nível mundial, destacando aqui seu trabalho ao lado de César Camargo Mariano, com quem gravou o antológico disco “Natural”, em 1993, e Sadao Watanabe, com quem gravou no histórico estúdio Eletric Lady.

Um mestre do piano e um jovem e renomado trombonista se encontram pela primeira vez no show “Inspirações”, que terá sua estreia no Festival Jazz & Blues, nesta edição especial de 25 anos. Tito Freitas e Thesco Carvalho apresentam ao público o resultado de um encontro há muito tempo esperado, maturado nas jam sessions em Fortaleza. Dessa convivência musical, surgiu a ideia de um projeto para destacar piano e trombone, com um repertório formado por temas que influenciaram ambos ao longo de suas trajetórias. O resultado vai se concretizar em Guaramiranga, como um presente para o público desta edição histórica do festival. Com eles no palco vão estar os músicos Filipe Mota (contrabaixo) e Michael da Silva (bateria).

O acordeonista Nonato Lima traz ao festival o som instrumental com a pegada regional, que vem conquistando públicos dentro e fora do Brasil. Grandes momentos marcaram sua carreira em 2023. No primeiro semestre, realizou turnê pela Europa, apresentando-se em países como Áustria, Alemanha, Holanda, Hungria, Suíça, Itália e França. No Brasil, acompanhou a cantora Ivete Sangalo na temporada junina e, em outubro, foi o único representante do Ceará no Angojazz – Festival de Jazz de Angola. Ele iniciou 2024 se apresentando para milhares de pessoas no Réveillon de Fortaleza, na Praia de Iracema. Nesta edição do Festival Jazz & Blues, onde já esteve em participações com diversos parceiros, o músico apresenta seu projeto solo “Sertão Jazz”, ao lado de Stênio Gonçalves (guitarra e violão), Miqueias dos Santos (contrabaixo) e Michael da Silva (bateria). No show, retrata suas origens musicais, acrescidas das influências recebidas nos vários países por onde passou. Entre essas inspirações, Dominguinhos, Sivuca e os cearenses Adelson Viana e Zé do Norte, mas também mestres do tango, da valsa, da música de concerto, em uma junção refletida no repertório do espetáculo.

Grandes vozes também marcam encontros nesta edição do Festival Jazz & Blues. Nico Rezende e Jane Duboc, cantores, compositores e instrumentistas, apresentam juntos o show “Clássicos do Jazz”. Com uma carreira iniciada nos anos de 1980, marcada por dez álbuns solo, trilhas sonoras para novelas e arranjos para discos de nomes como Marina Lima, Gal Costa, Roberto Carlos, Zizi Possi e Barão Vermelho, Nico Rezende (voz e piano) apresenta na primeira parte do show músicas de sua autoria e clássicos de Chet Baker, ícone do cool jazz, acompanhado no palco por Vander Nascimento (trompete e flughelhorn), Nélio Costa (contrabaixo acústico) e Paulinho Santos (bateria). Na segunda parte, Jane Duboc (voz e violão), uma das grandes referências da música brasileira, canta e toca ao lado de Nico Rezende grandes sucessos das trilhas sonoras do cinema internacional, como “As time goes by” e “Bagdá Café”, além de canções de Burt Bachara, um dos maiores compositores de todos os tempos. Juntos, interpretam também alguns dos seus maiores clássicos autorais.

Olivia e Francis Hime apresentam o show “Dois Franciscos”, construído a partir das canções de Francis, um dos Franciscos, e de Chico Buarque, o segundo Francisco. Idealizado por Olivia Hime, o show teve sua estreia em 2022, marcando os 50 anos de “Atrás da porta”, primeira parceria dos dois Franciscos. No repertório, composições dos dois juntos e com outros autores. Músicas que, roteirizadas em sequência e com textos complementares ganham nova perspectiva, como “E Se” e “Outros Sonhos”, ou se completam, como “Pietá” e “O Meu Guri”. No show, Olivia (voz) e Francis (piano e voz) contarão com o violoncelo de Hugo Pilger. A direção do espetáculo é de Flavio Marinho.

Indiana Nomma e Osmar Milito, dois artistas renomados e premiados, se encontram no palco do 25º Festival Jazz & Blues, em Guaramiranga para o show “Unexpected”, com grandes clássicos do repertório jazzístico. Cantora hondurenha radicada no Brasil, Indiana Nomma é reconhecida por seu trabalho no jazz. O pianista Osmar Milito, paulista que desde os anos 60 construiu sua carreira no Rio de Janeiro, tocou com Sérgio Mendes nos EUA e no México, acompanhou artistas como Liza Minnelli, Sarah Vaughan, Tony Bennett, Pat Metheny e Benny Golson, e lançou diversos discos. Parceiros em uma temporada de shows por cinco anos no Rio de Janeiro, Indiana Nomma e o mestre Osmar Milito, de 82 anos, apresentam no Festival Jazz & Blues recriações cheias de personalidade, intensidade e muito suingue para obras imortalizadas por expoentes do jazz, além de composições de Osmar. Eles serão acompanhados no palco do festival pelos cearenses Nélio Costa (contrabaixo acústico), Alex Moreira (trompete) e André Benedecti (bateria).

Na cena blues desta edição, um dos encontros será de Omar Coleman e Igor Prado. O cantor americano retorna ao Brasil depois de quatro anos para uma tour e a gravação de um álbum com o guitarrista paulistano Igor Prado e sua nova banda TJR, composta por três pesos pesados do estilo: Ted Furtado (contrabaixo), Juninho Isidoro (bateria) e Rodolfo Crepaldi (guitarra). Vindo da periferia de West Side em Chicago, Coleman cresceu mergulhado na soul music e na black music, que definiram a era em meados dos anos 90. Em meados dos anos 2000, iniciou seu próprio projeto, Trouble Minds, e continuou a aprimorar como seria sua marca pessoal na música blues. O guitarrista-compositor paulistano Igor Prado trilha uma carreira de duas décadas. Foi o primeiro artista sul-americano da história a ser indicado ao Blues Music Awards (considerado o Grammy do Blues nos EUA). As influências musicais em comum deram origem a uma forte parceria entre eles, que são amigos há mais de uma década. Uma colaboração musical que, além do disco a ser lançado no segundo semestre, se estenderá ao palco do Festival Jazz & Blues, com um repertório de clássicos do blues, do soul e do funk, além de algumas músicas do álbum, em primeira mão.

Outro encontro que vem para levantar a plateia é de Felipe Cazaux e Rayane Fortes, dois guitarristas de gerações distintas, que se unem para apresentar um novo show, que não é somente de guitarras, pois ambos vão bem além disso. Um show com vozes marcantes, energia vibrante e com muito feeling. Apresentando suas canções e releituras de suas influências, ambos passeiam pelo mesmo universo da Black Music, trazendo Soul, Funky, Blues e por que não um pouco de Rock n’Roll? Enquanto Cazaux traz músicas de seus três álbuns solo – “Help the Dog”, “Good Days Have Come” e “Never go Down”, Rayane apresenta músicas de seu primeiro álbum, intitulado “Atenta”. Com eles, PH Barcellos (bateria), Renato Cazzolli (baixo), além de um naipe de metais composto por Fernando Lélis e Jorge Doudement (saxofones) e Cláudio Arroz “Mr. Rice” (trompete).

A Matinal nas Igrejas e o espetáculo na Praça do Teatro Municipal de Guaramiranga vão encerrar o festival na manhã de terça-feira. Nas igrejas, apresentam-se dois duo de instrumentistas de destacada atuação na cena musical cearense. Na Igreja da Gruta, o duo será de Nélio Costa e Tito Freitas (contrabaixo e piano) e na Matriz, a apresentação será de Thiago Rocha e Stênio Gonçalves (sax e guitarra).

Na Praça do Teatro, o Projeto Miudinho apresenta “Ou Isto ou Aquilo”, um espetáculo musical educativo para crianças e que agrada também aos adultos, com poemas do livro homônimo de Cecília Meireles musicados por Celso Delneri. Os poemas abordam temas sensíveis, a exemplo das coisas que não se compram, como as amizades e as relações geracionais. O grupo improvisa e brinca com as palavras. Durante o espetáculo, tem rap e repente em conjunto com público, e tem também canções de Tarcísio Sardinha e Luizinho Duarte, uma homenagem aos dois grandes músicos que deixaram um importante legado para a cultura, especialmente do Ceará. A concepção e a direção artística são de Lu Basile, pianista e professora da Universidade Estadual do Ceará, que também assina o roteiro, juntamente com o ator Fernando Cattony. A adaptação de roteiro para a cena é de Cattony e Tatiana Conde, também atriz no espetáculo, que conta com Bárbara Sena (voz e violão), Luiza Nobel (voz e percussão), Lu Basile (teclado), Mirele Alencar (contrabaixo e direção de ensaios) e Ayla Lemos (bateria), destacando a presença feminina na música brasileira.

QUEM FAZ O FESTIVAL

O 25º Festival Jazz & Blues é uma realização do Ministério da Cultura e da Via de Comunicação. Tem o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Secult Ceará), com recursos da Lei Paulo Gustavo (Lei Complementar n. 195/2022) e da Prefeitura Municipal de Guaramiranga. Apoio: Casa Pio, Asfalto Nordeste, SP Combustíveis e Mercadinhos São Luiz. Patrocínio: Banco do Nordeste e Cagece. Agradecimentos: Cegás e Enel.

SERVIÇO

Festival Jazz & Blues – 25 anos: De 10 a 13 de fevereiro de 2024, em Guaramiranga, Ceará. Site: www.jazzeblues.com.br. Redes Sociais: Facebook [Festival Jazz & Blues (CE)] Instagram [@festivaljazzeblues]. Informações: producaojazzeblues@gmail.com.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

DÉGAGÉ

Jornalistas Resp. Sônia Lage e Eugênia Nogueira
Atendimento à Imprensa: Sônia Lage e Luana Rodrigues
85 3252-5401 / 99989-5876 / 98902-6992
degage@degage.com.br / www.degage.com.br

Instagram e facebook: @degagecomunicacao

Compartilhe com os amigosShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Pin on Pinterest
Pinterest

Deixe um comentário